Hangumdo

O gênio Myung Jae-nam não se conteve apenas com o hankido. Uma arte marcial ainda mais recente foi fundada nos anos que precederam o seu falecimento, o hangumdo ou hankumdo, uma arte de espada coreana que utiliza o Hangul (alfbeto coreano) como forma de ensinar os movimentos básicos da espada. São 19 consoantes e 21 vogais que compõe o básico do sistema.

Hangul

O Hangul é o alfabeto mais simples que existe. Foi desenvolvido pelo rei Sejong da dinastia Yi (última dinastia da Coreia, quando o país era chamado Joseon) e foi divulgado oficialmente no dia 9 de outubro de 1443. Naquela época a escrita chinesa era utilizada e apenas nobres sabiam ler e escrever, então preocupado com a alfabetização de toda a população o rei Sejong desenvolveu este alfabeto, motivo pelo qual o prêmio King Sejong da Unesco, destinado a pessoas e organizações que lutam contra a analfabetização, leva o seu nome. A incorporação do Hangul ao hangumdo fez com que a arte fosse reconhecida pelo governo Coreia do Sul como uma arte marcial nacional.

 

Treinamento do hangumdo

Durante a maior parte do treinamento o indivíduo pratica com a espada de madeira, mok-geom (목검) e adquirindo proficiência, na graduação de faixa preta o indivíduo pode treinar com a espada de aço, jin-geom (진검), realizando treinos de corte contra bambu, EVA e outros materiais. Entretanto, mesmo na faixa preta a maior parte do treinamento continua sendo com a mok-geom.

Klaas Barends é o ocidental que mais visitou a Coreia do Sul para treinar artes marciais, tendo vivido com mestre Ko durante dois anos e viaja constantemente para diversos países ministrando seminários e divulgando as artes da Hankimuye. Em 2015 ele esteve no Brasil a convite de Luiz Miele com o objetivo principal de divulgar o Hankido. Durante sua estadia de 12 dias Klaas Barends ministrou um seminário em São Paulo e visitou nossa escola em Valinhos.

No vídeo abaixo Ko Se-hwan mostra e explica (em coreano) como executar o corte mais básico com a espada.